Fevereiro 14 2009

 

     "A máscara exerce um enorme poder sobre mim. As máscaras são fascinantes. São a opção da hora, são muitas, tantas que acredito não existir uma face original onde as máscaras são colocadas.

         As máscaras aderem ao espírito e são muitas porque o espírito é uma matéria dual, com as contradições e as possibilidades que se apresentam em cada momento.

         São muitas as pessoas que usam máscaras. Mas poucas as que reconhecem ter essa multiplicidade porque para isso necessitavam de se afastar de si mesmos e olharem-se com uma determinada distância, e isso é muito complicado.

         Eu tenho um baú de máscaras e vou trocando de acordo com o meu espírito no momento. Algumas uso mais frequentemente, quando estou triste e uso a máscara da felicidade para não passar para as outras pessoas o que sinto. Elas não precisam de saber que eu estou mal.

         As máscaras são por vezes invisíveis ao outro: e aí eu sirvo-me delas para consumo próprio, interno, para me ver reflectir no meu próprio inconsciente.

         Talvez fosse interessante abrir uma superfície comercial, onde tudo isto estivesse à venda, onde aqueles disfarces que se usa em actos que encenamos no teatro da vida pudessem ser vendidos; máscaras para o palhaço sorrir na alegria e na tristeza, para ser mostrado ao mundo a felicidade. Mas não estariam à venda máscaras para esconder a falsidade e a maldade; para esconder a verdade e a traição.

         Eu compraria aquelas que me mostrassem feliz, escondendo de todos a decepção que por vezes sinto.

         Procuro em cada máscara a sua íntima verdade e múltiplos mistérios, rituais de vida e passagem.

           Procuro a tua máscara!"

 

Poeta mascarado

 

 

Com o recebimento de um comentário que focava o uso de máscaras, e sendo este blog "Realidade Mascarada", pareceu interessante introduzir um texto sobre o que é esta tal máscara de que se fala e em que momentos é utilizada.

 

publicado por Realidade Mascarada às 17:07

Máscaras... Neste momento é o que tenho sobre a minha face... Encontro-me triste, e não consigo esconder. Não consigo esconder que estou magoada, que me sinto sozinha. Queria poder ter todos aqueles que me são importantes junto de mim. Sentir-me forte e capaz de os fazer felizes. Só mascarada conseguirei faze-los felizes.
Não sei quem a pessoa correcta para me ouvir. Não sei quem é que me quer ouvir. E se mereço ser ouvida.
Enfim... eu não sei....
Anónimo a 3 de Março de 2009 às 21:46

Pois é poeta por vezes colocamos uma mascara para que os outros não possam saber como nos sentimos nesse dia, geralmente quanto nos sentimos mal temos tendência em por a mascara de felicidade...mas depois enganamos os outros e muitas vezes nós mesmos!!! E de que nos vale isso? É como um não encarar a realidade quando se coloca uma mascara, é como sermos actores eternos de uma cena que não é a nossa vida...
Eu já pus muitas vezes essa mascara que tudo está bem, quando não está, mas na realidade quem perdeu fui eu, para que me serviu tapar os meus sentimentos? Não serviu e não serve porque se sofre a mesma...então decidi colocar a mascara menos vezes, hoje talvez ponha quanto a situação assim o exige...mas ao não colocar e demonstrar realmente como sou e como me sinto, fico melhor. Ganho forças par encarar a minha vida tal e qual como ela é, e sou eu o actor da minha vida sem mascaras e sem nada...como sou e não como fui...
Poeta tenta tirar a mascara e mostraste tal e qual como és, com as tuas fraquezas, limitações, alegrias, vitorias, tristezas, sofrimentos, lutas e verás que te vais sentir muito melhor depois!
Obrigada poeta pelo teu post esta muito fixe
Anónimo a 10 de Março de 2009 às 00:59

mais sobre mim
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27


pesquisar
 
blogs SAPO