Outubro 11 2008

    Parece-nos que referir coisas como o nosso nome e a nossa idade não irá dizer nada às pessoas que visitam este blog. 
    Achamos que o que mais importa é a troca de experiências, visto que este é o nosso principal objectivo. 
    A sociedade não permite que possamos ter ao nosso dispôr diariamente um psicólogo ou até um psiquiatra com quem podemos partilhar as nossas dificuldades, dúvidas e inquietações.

    São muitas as vezes que nos sentimos incompreendidos, desamparados, sozinhos no mundo mesmo que rodeados de pessoas, e é nosso desejo que neste espaço todos encontrem a calma, a confiança, persistência, esperança através da partilha destes sentimentos tão negativos.Que após a sua passagem por este espaço se sintam acompanhados nesta caminhada e procura da felicidade e bem-estar.

   Foi por sentirmos também tudo isto que decidimos criar este blog.
   Não se feche... não estamos para julgar mas para ouvir e, se possível, ajudar.
   Colabore connosco!

publicado por Realidade Mascarada às 17:25

Olá...
Bem eu felizmente consegui ultrapassar o que vou escrever, apesar de não ser nada facil...espero ajudar alguem ,que caso conheça alguem nesta situação possa a entender e ajudar.
Passei por uma Depressão e Anorexia nervosa, isto junto é como uma bomba explosiva, que leva a sentimentos, emoções, atitudes/acções, que levam a nossa propria destruição fisica e psicologica e prejudicam quem tenta ajudar e não consegue.
Sentimentos de odio,rancor,raiva,culpa,tristeza,desejo de morrer,negação do eu,sofrimento em silencio,desespero,irratibilidade, desconfiança e baixa auto-estima...tudo isto foi o que passei além disso também me fez com que deixasse de comer, fizesse demasidas horas de exercicio,não falar com a familia,chorar todos os dias, desistir pura e simplesmente da vida e de tudo o que sonhava.
Tudo isto devido à não aceitação da morte do meu avô e da separação dos meus pais, levou-me a 4 anos de angustia onde a adolescência passou ao lado, onde achei que tudo era culpa minha e que a vida não fazia sentido, onde fechei me no meu mundo...durante 4 anos fui indo cada vez mais ao fundo dum poço em que por diversas vezes pensava em matar-me,arranjar estrategias para matar-me, pois deixei de acreditar em tudo e em Deus, que passou a não existir para mim, pois se existisse eu não teria que sofrer(pensava eu), mas a falta de coragem para me matar levava me a ficar pior, como não tinha eu coragem para me matar?
A minha mãe e irmão viam-me cada vez mais em baixo e sem conseguir fazer nada, os amigos esses tratei-os muito mal mas não desistiram de me ajudar( ainda bem :D)...enfim muito se passou...
No entando no fundo do meu coração havia algo que lutava contra a esta situação, algo que dizia tu consegues sair deste fosso,talvez um anjo que me protegesse...pois foi esse anjo que atraves de muitas pessoas me levaram a ir parar ao Hospital Santa Maria-Psiquiatria. Ai fui a muitas consultas onde levava constantes ameaças de ficar internata e de poder mesmo morrer caso não parasse...eu estava completamente magra, onde as forças iam sendo nessa altura poucas pa lutar, a fraqueza já era demais...mas decidi então dar a volta por cima, a tomar consciência do que fizera passar a minha familia que no fundo não queria ve-los sofrer...por eles decidi voltar a tentar viver...Comecei a abrir o coração novamente a Deus com a ajuda de todos e a ver o que tinha perdido...tinha 18 anos e perdera a adolescência!!!
Depois de voltar ao de cima e ficar curada desta doença, cesci e aprendi o valor que a vida tem, que não devemos deixar de lutar por os nossos sonhos, que na vida há sempre volta a dar aos problemas e que nem tudo o que de mau aconteece é culpa nossa.Aprendi que a familia é suporte na vida, Deus o caminho, os amigos são seres especiais, os sonhos objectivos, que não vale a pena isolar-nos porque não somos os unicos com problemas...
O que vi naquele hospital, o que passei, o que senti já mais esqueço, não da pa descerver porque é demasiado mau, apenas sei que hoje sorriu para a vida, que confio em DEUS pois deu-me oportunidade para voltar a renascer e a reencontrar-me com ele quando um dia lha fechei o coração...
Caminho com confiança, apesar de obstaculos que aparecem na vida, mas são esses obstaculos que me fazem lutar para os ultrapassar e seguir em frente....sei que sou hoje uma lutadora e sonhadora e que isso me faz acreditar que vale a pena a vida e se estou aqui e por algum motivo...

Agora tou os parabens a que fez o blog porque a ideia é muito boa.
Anónimo a 30 de Outubro de 2008 às 17:48

Este texto diz tudo mesmo , devo felicitar te pois tu és uma pessoa diferente uma pessoa que quer mudar o mundo para melhor !! Grande composição mesmo não sei que dizer porque na realidade também não sei muito mais mas estou aqui a apoiar te !!

Beijos

ass: Luís
Luis a 2 de Novembro de 2008 às 22:15

Naquele dia:

Pensei em desistir…
Não conseguia explicar o que se passava…mas ao mesmo tempo sabia bem porque assim me sentia…estava desiludid…triste comigo msm…atormentava-me a ideia de não ser capaz….de não ter força suficiente para levar avante os meus sonhos…e ao mesmo tempo pensava: sonhos…não passarão os meus objectivos disso mesmo? De sonhos? De imaginações?

Não aguentava…as paredes do meu quarto apertavam-me na minha solidão…na inexistência de respostas a tantas questões fundamentais para eu me erguer daquele chão…

As ideias acumulavam-se ao mesmo tempo que o meu coração palpitava com tanta força que parecia que iria saltar…sentia o meu corpo fraco…cansado de tanto tentar… de tanto começar de novo porque «desta vez não deu certo» …nunca iria dar…porque não tenho capacidade para isso!

Não me sinto capaz de ser independente…de ter responsabilidades…aliás…não as quero ter! Sou feliz sem elas…sem preocupações… (ou pelo menos acho que seria!) pelo menos não sentiria a dor do fracasso quando não consigo….quando sinto que a minha maior barreira sou eu mm!

Dizem que querer é poder…mas se eu não posso…não consigo ir em frente…ter autodomínio sobre mim msm….então parece que não quero ser feliz!
É assim a vida…os fortes querem e logo poderão…os fracos…sonham…e nunca verão os sonhos realizados…não acho que seja porque não o queiram ser…mas porque não têm essa força de vontade…essa que me falta…e que não sei como a achar!!!

Deixo aqui o meu desabafo…não sei se servirá para alguma coisa…mas pelo menos desta forma consegui explicar o que senti naquele dia…não sei se já estou «bem» …se é que isto é estar «mal» …talvez não passe de um desvairo! Mas por mais disparatado que seja…dói…e custa viver assim!!!
Obrigado pela atençao...foi uma excelente ideia criar um blog assim!!:)

E.L
Anónimo a 3 de Novembro de 2008 às 17:01

Li os testemunhos anteriores e confesso que me revi em muitos momentos que descreveram.
Não me sinto capaz de muitas coisas, não me sinto capaz de concretizar os meus sonhos, por vezes sinto até que não sou capaz nem merecedora de ter sonhos.
Acredito que os sonhos fazem falta, porque fazem. São o motivo para cá andarmos. Para todos os dias acordarmos e termos um objectivo quando realizamos qualquer tarefa. Mas não sei se eu mereço ter esse privilégio de acordar e ver o sol brilhar, era assim que eu pensava e por vezes ainda penso.
Há cerca de 3 anos (quase 4) entrei em depressão. Não sabia bem o que era, além de a minha mãe já ter passado por isso, mas sentir todo aquele desgosto, sentimento de culpa, medo, incapacidade, era mau de mais. Sempre me tinha considerado uma pessoa meiga e estava a transformar-me numa pessoa bastante agressiva. Mesmo sem forças e de olhos quase cerrados com tanto cansaço eu batia as portas e agarrava com força os meus cabelos.
Após recorrer a medicação as coisas começaram de certo modo a atenuar. Alguns dias menos agradáveis mas que tentava não dar importância.
Após dois anos desta depressão, uma recaída. E se a outra tinha sido má esta foi o horror dos horrores. Senti necessidade de me mascarar (tal como o nome do blog eu também mascarava a realidade), queria esconder o meu sofrimento e desespero de todas as pessoas. Mas no meu mundo, no meu quarto, eu deixava todas essas farsas e em silêncio escrevia o que me ia na alma.

Eu tinha e tenho um anjo, um irmão que faleceu, era com ele que desabafava. Era com ele que falava, em pensamento, e era ele o meu confidente. Uma das minhas melhores amigas acabava de ter um esgotamento e estava internada numa Casa de Saúde, era com ela que nos últimos tempos partilhava o que vivia, e não a tinha junto a mim. Isso deixava-me ainda pior. O falecimento da minha avó foi algo que me deitou ainda mais a baixo, isto a juntar ao esgotamento da minha amiga, com a doença de outra amiga e porque ainda necessitava de mais dificuldades, o terminar de um namoro de quase 2 anos.
Com tanta máscara que usei, tinha um armazém delas, muitas das pessoas não se aperceberam que eu não estava bem. Ajudas, eu não aceitava e que tivessem pena de mim, muito menos.
Ganhei pavor aos "batas brancas", e eu que sempre sonhei ser médica e usar uma todos os dias. Quando os meus pais me queriam levar ao hospital eu berrava desesperada: "Não...Médicos não...Hospital não...". Custava-me pedir e aceitar ajuda, ver alguém ajudar-me fazia-me sentir ainda pior.
A vontade de desistir de tudo era tanta, tanta que pensei em matar-me. Era a forma mais eficaz que eu encontrava para me livrar de todo aquele sofrimento. De toda aquela insignificância de pessoa que eu me sentia. Mas além de querer tanto me livrar do sofrimento faltava-me algo essencial: coragem. Eu não a tinha, nem para viver nem para me matar.
Em conversas que consegui ter, com um amigo e com o meu anjo, comecei a aceitar e a entender que era mesmo necessário eu aceitar ajuda. E que já não bastavam os meus pais a ajudar-me, mas que já necessitava de profissionais. Custou… Custou muito entrar naquele consultório e "pedir ajuda". Medicação... medicação… droga e mais droga. Ingeri tudo isso, e aos poucos fui ingerindo um ou outro sorriso, e secando a fonte de lágrimas. (Também já pouco restava para secar, de tanto que já tinha chorado). Canetas e papel em casa não faltavam mas eram muitas as folhas que eu escrevia, muitos os textos em que eu desabafava.

Enfim... tantas tantas tantas coisas aconteceram entretanto. Hoje encontro-me melhor. Mesmo por vezes sentindo que estou a entrada do poço novamente e que por muito pouco não caio outra vez.
Não me sinto uma pessoa forte, nem capaz de tudo, mas sinto-me feliz por ter conseguido "recuperar" e por ter deixado essencialmente as máscaras. Fui destruindo uma a uma e não imaginam o prazer que senti ao dar cabo delas. Foi quase como se apagasse esta fase da minha vida.

E, não desistam... E é importante tomar-se consciência de que estamos doentes e precisamos de ajuda. FORÇA.. CORAGEM.. PERSISTÊNCIA... LUTA, pois sem ela não se consegue.
E aos meus pais e amigos... OBRIGADO do fundo do coração.
E vocês estrelinhas: continuo a rezar todas as noites.
JC n me abandons
Anónimo a 3 de Novembro de 2008 às 23:57

Olá... navegava pela internet sem objectivo algum, talvez o destino quis que eu encontra-se este blog, e realmente estava a precisar de um lugar onde posso exprimir tudo o que sinto, sem ser julgada.

Li todos os comentarios e concordo numa coisa, a vida é repleta de surpresas e obstaculos esses que porem muitas vezes nos atiram ao chao sem piedade, sem compaixao e sem amor. Vivemos numa selva, onde so sobrevivem os mais fortes e os mais fracos sao deixados para tras, e nós obrigatóriamente teremos de fazer parte dos mais fortes, pois muitos sao aqeles q deixam q a vida acabe com eles, esses sao insinuados os "mais fracos"... Tu que estas a ler isto quand sentires q td esmurenece e q nao a sentido para viver, lembra t q viver ja um privilegio, so te resta tornar essa vida preenchida de objectivos, metas a traçar, e momentos pra viver. Nao penses que existe um caminho para a felicidade, pois esse que percorres é ja a felicidade, a felicidade é uma viagem nao um destino, e lembra te " Quem tem um porquê viver, encontrara, quase sempre o como".




bju

"Beatriz" a 17 de Novembro de 2008 às 17:36

Ola!
Ainda bem que encontrei este blog, é um local maravilhoso para eu expor os meus sentimentos, foi uma excelente ideia criar um espaço assim.
Nao sou doente mental, nem nunca estive perto de nenhuma depressão (felizmente), como em alguns casos que li aqui. Infelizmente na nossa sociedade um doente mental é encarado como uma pessoa que é incapaz de pensar, que ja nao serve para nada! Eu creio que isso nao é assim, são pessoas, e por serem diferentes em alguns aspectos não devem ser deixadas de lado. Eles têm muito para nos dar!
Mas como ja referi, este local é muito bom para expor sentimentos, duvidas, partilhar momentos da nossa vida que em alguns casos nos deixam de rastos. A minha vida é cheia de coisas boas aliás, no que diz respeito aos amigos, á familia, ao local de trabalho, todos os que me rodeiam sao espetaculares. Mas... existe sempre um mas, por vezes sentimo-nos medíocres, que nao somos capazes, que todos sao melhores que nos, nem vemos o que de bom temos, o quanto nos admiram muitas pessoas, nao vemos que é um pensamento ou um sentimento que só esta ali para ocupar espaço! Pois bem... é este sentimento de me sentir inferior, de achar que podia ser melhor, que me deixa muito triste.
Mas existe sempre algo ou alguem que esta ao nosso lado para nos levantar e dizer que nao é por esse caminho mas sim pelo outro... um dele é jesus!

Parabens pelo blog, eu volto a dar noticias!

KK
KK a 20 de Novembro de 2008 às 17:30

Eu disse que voltava, e aqui estou eu! Adorei mesmo este blog, está muito bem conseguido.
Então, ontem falei que ele era bom para exprimirmos sentimentos, partilhar duvidas… e também alegrias, a vida é composta de muitas coisas, a felicidade é uma delas. Pois bem, uma das minhas grandes alegrias, aquele que me faz viver cada dia como se fosse o último, e que me faz sorrir quando tenho vontade de chorar é o meu namorado. Tem sido uma pessoa com um papel fundamental na minha vida, apesar de recente, estou muito, muito feliz com a minha relação. Espero estar assim por muito tempo, porque ele é o meu namorado, o meu melhor amigo, e o meu amuleto! Sem ele não seria a pessoa que sou hoje.


PS: São estes pequenos textos que me fazem sentir bem, e tenho certeza que vocês me entendem…

Até amanhã


KK
KK a 21 de Novembro de 2008 às 10:11

Nem tudo são mar de rosas nesta vida, por vezes existem tantos obstaculos que nos fazem pensar em desistir de tudo...No entando é bom saber que existem amigos que nos apoiam e nos ajudam a levantar e a manter o animo. Saber que podemos contar com eles, apesar do pouco tempo que temos para estar juntos.Este ano vai ser uma luta constante e sei que vou ter muito pouco tempo para estar com eles, mas o pouco tempo que terei, irei aproveitar para estar com quem é importante para mim, a minha famillia e amigos.
Houve alguém que me disse: " Um vencedor vê em cada obstaculo um desafio. Eu sei que tu és uma vencedora por isso vais conseguir." São atitudes destas que me fazem seguir em frente.
Hoje apenas me apeteceu deixar isto aqui...
Os amigos, a familia são tesouros que nos mantem vivos...
Obrigada a eles
Anónimo a 28 de Novembro de 2008 às 22:02

Olá!!!
Gostava de partilhar aqui um pouco da minha vida!
Bem, tento ser uma pessoa normal e sem problemas, mas no fundo não é o que acontece. Não porque queira, mas sim porque a vida assim o quis.
Tenho um problema e não sei o que fazer, pois a minha vida é muito complicada e a minha mãe que na realidade não é mãe nem é nada, já que não merece o amor dos seus filhos e do marido. Ela apenas pensa em si, ignorando quem a ama, desprezando quem a venera. Por vezes sinto que é bastante injusta comigo. Ela não faz nada na vida, visto que não trabalha, passeando apenas.
Quanto a mim, quando chego a casa de mais um dia de escola, que por vezes é mais do que estar dentro de uma sala, tenho ainda de fazer tudo aquilo que ela não faz, como por exemplo preparar o jantar, cuidar das tarefas domésticas, coisas essas que ela faz muito raramente.
Mas não é só… como se não bastasse há pouco tive a confirmação do que mais temia: a minha mãe é infiel. Existe um senhor, amigo da família, ao qual eu e a minha mãe prestávamos serviços de limpeza, pois esse senhor não tinha família. Eu desconfiava que nessa altura eles tinham um caso, mas era apenas um pensamento, até que no dia 4 de Setembro de 2008, às 14:29h confirmou-se aquilo que mais me custou em toda a minha vida. Que desilusão ao saber que a minha mãe traía o meu pai com esse homem, que se dizia amigo da família, pessoa essa que eu odiava. Doeu tanto ao saber aquilo que mais me inquietava. Surgia assim a verdade com a qual eu não conseguia lidar.
Sinto-me impotente, porque não consigo contar ao meu pai e reprimo-me por isso, mas ao mesmo tempo sei que se o fizer deixarei de ter um lar. Simplesmente mudei a minha relação com a minha mãe, revoltada com o seu egoísmo e com a sua mediocridade. Dela somente sinto os sentimentos mais impensáveis que alguém poderia sentir da sua própria mãe. Perdida na vida é assim que eu me sinto, cansada e frustrada por lutar sem objectivo algum, sabendo que isto será sempre algo que jamais poderei apagar do passado, pois o tempo pode passar, mas a mágoa irá sempre ficar.
Será assim tão difícil viver uma vida feliz?
Preciso de ajuda, não sei mais que faça, nem encontro que atitude hei-de tomar!
A minha vida está ao contrário… pois ninguém imagina o quanto custa não ter amor de mãe…
Obrigado…
Anónimo a 3 de Dezembro de 2008 às 12:05

Olá! Não sei quem és. Aqui também não quero dizer quem sou! Não é muito importante!
Não tenho receitas, tão pouco experiência, mas gostava de te dizer que, se quiseres, estou disponível para escutar, para conversarmos um pouco. Talvez a distância seja importante, sou de Braga!!! Talvez possamos trocar algumas mensagens poremail. Deixo o meu tl:m 927744933. É provável que eu não atenda, normalmente não o tenho perto, mas podes mandar uma mensagem com o teu contacto e, logo que eu tenha oportunidade, já te contacto.
Anónimo a 7 de Dezembro de 2008 às 22:32

Olá.
Hoje como ha alguns dias que não me sinto bem. Ando meio triste, desiludida, se que é esse o termo..não sei o que faça da vida, ha um mes atras parecia ter as certezas do que queria para o meu futuro, agora não sei...não sei o que quero, apesar de estar num curso, e isso esta a por me parva...detesto nao ter certezas, não saber i que quero...
Não me apetece fazer nada pa escola, quero apenas estar no meu canto, mas mesmo isso me poe duvidas sobre o que quero pa minha vida...
Ando numa fase que procuro e não encontro respostas...como se faz pa encontrar respostas alguem sabe? Como faço pa nao cair numa desmotivação pela escola?
pode ser que um dia isto passe
Anónimo a 29 de Dezembro de 2008 às 23:54

Olá...
Compreendo-a e também me sinto muitas vezes assim. Sem saber o que quero para o meu futuro.
Mas desanimar não é nem nunca foi solução. Apenas serve para que tenham pena de nós e nós nos destruamos a pouco e pouco. Não deixe que isso aconteça. Nem que tenham pena de si, nem se destruir. Vai ver que não passa de uma fase menos agradável na sua vida.
A escola é essencial para adquirir conhecimentos e se já ingressou num curso é meio caminho andado. Não pode desistir. Não sei qual é o curso mas pense naquilo que poderá desempenhar depois de o terminar. Talvez isso sirva de motivação.

Cumprimentos
Anónimo a 31 de Dezembro de 2008 às 10:01

mais sobre mim
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
24
25

26
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO