Outubro 11 2008

    Parece-nos que referir coisas como o nosso nome e a nossa idade não irá dizer nada às pessoas que visitam este blog. 
    Achamos que o que mais importa é a troca de experiências, visto que este é o nosso principal objectivo. 
    A sociedade não permite que possamos ter ao nosso dispôr diariamente um psicólogo ou até um psiquiatra com quem podemos partilhar as nossas dificuldades, dúvidas e inquietações.

    São muitas as vezes que nos sentimos incompreendidos, desamparados, sozinhos no mundo mesmo que rodeados de pessoas, e é nosso desejo que neste espaço todos encontrem a calma, a confiança, persistência, esperança através da partilha destes sentimentos tão negativos.Que após a sua passagem por este espaço se sintam acompanhados nesta caminhada e procura da felicidade e bem-estar.

   Foi por sentirmos também tudo isto que decidimos criar este blog.
   Não se feche... não estamos para julgar mas para ouvir e, se possível, ajudar.
   Colabore connosco!

publicado por Realidade Mascarada às 17:25

Olá!!!
Gostava de partilhar aqui um pouco da minha vida!
Bem, tento ser uma pessoa normal e sem problemas, mas no fundo não é o que acontece. Não porque queira, mas sim porque a vida assim o quis.
Tenho um problema e não sei o que fazer, pois a minha vida é muito complicada e a minha mãe que na realidade não é mãe nem é nada, já que não merece o amor dos seus filhos e do marido. Ela apenas pensa em si, ignorando quem a ama, desprezando quem a venera. Por vezes sinto que é bastante injusta comigo. Ela não faz nada na vida, visto que não trabalha, passeando apenas.
Quanto a mim, quando chego a casa de mais um dia de escola, que por vezes é mais do que estar dentro de uma sala, tenho ainda de fazer tudo aquilo que ela não faz, como por exemplo preparar o jantar, cuidar das tarefas domésticas, coisas essas que ela faz muito raramente.
Mas não é só… como se não bastasse há pouco tive a confirmação do que mais temia: a minha mãe é infiel. Existe um senhor, amigo da família, ao qual eu e a minha mãe prestávamos serviços de limpeza, pois esse senhor não tinha família. Eu desconfiava que nessa altura eles tinham um caso, mas era apenas um pensamento, até que no dia 4 de Setembro de 2008, às 14:29h confirmou-se aquilo que mais me custou em toda a minha vida. Que desilusão ao saber que a minha mãe traía o meu pai com esse homem, que se dizia amigo da família, pessoa essa que eu odiava. Doeu tanto ao saber aquilo que mais me inquietava. Surgia assim a verdade com a qual eu não conseguia lidar.
Sinto-me impotente, porque não consigo contar ao meu pai e reprimo-me por isso, mas ao mesmo tempo sei que se o fizer deixarei de ter um lar. Simplesmente mudei a minha relação com a minha mãe, revoltada com o seu egoísmo e com a sua mediocridade. Dela somente sinto os sentimentos mais impensáveis que alguém poderia sentir da sua própria mãe. Perdida na vida é assim que eu me sinto, cansada e frustrada por lutar sem objectivo algum, sabendo que isto será sempre algo que jamais poderei apagar do passado, pois o tempo pode passar, mas a mágoa irá sempre ficar.
Será assim tão difícil viver uma vida feliz?
Preciso de ajuda, não sei mais que faça, nem encontro que atitude hei-de tomar!
A minha vida está ao contrário… pois ninguém imagina o quanto custa não ter amor de mãe…
Obrigado…
Anónimo a 3 de Dezembro de 2008 às 12:05

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
24
25

26
28
29
30
31


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO